Índia autoriza aborto de menina violentada em decisão inédita

Uma junta de médicos na Índia autorizou o aborto em uma menina de dez anos estuprada pelo padrasto.


O caso é um marco porque a lei indiana não permite aborto em gestações acima de 20 semanas, exceto quando há perigo para a vida da mãe. Os médicos alegaram que a garota poderia sofrer ''trauma psicológico'' caso a gravidez seguisse adiante. Dessa forma foi possível que a menina, que está grávida de 20 semanas, recebesse autorização para a realização do procedimento.

O caso aconteceu no Estado de Haryana, no norte do país. Segundo informações da imprensa local, o padrasto violentava a menina constantemente. Ele foi preso.


A Índia é o país que mais sofre com abuso sexual de crianças no mundo. Quase em todos os casos, os agressores são conhecidos das vítimas: familiares, amigos ou vizinhos. As vítimas acabam não denunciando o caso por medo de alguma retaliação ou desonra familiar.

Mais lidas da semana 🔥

Aretha Franklin, ''rainha do soul'', morre aos 76 anos

Maioria entre indecisos, mulheres devem definir eleição presidencial

4 livros para tratar temas difíceis com seus filhos

'Três Espiãs Demais' entra para o catálogo da Netflix

'Sobrevivi a quatro sentenças de morte'

Biólogo Richard Rasmussen é acusado de pagar para matarem botos em reportagem

Marina Silva é a 1ª presidenciável a usar blockchain em financiamento de campanha

Legado de Amy Winehouse influencia cantores e impressiona especialistas

Criado por atrizes, conheça três coisas utilizadas até hoje

Mulher mais obesa do mundo perde 250 kg após cirurgia