Cientistas conseguem eliminar HIV em animais vivos pela 1ª vez

Uma descoberta da Lewis Katz School of Medicine, da Universidade de Temple, na Filadélfia, EUA, vem dando esperanças para soropositivos ao redor do mundo. Segundo informações da instituição de ensino, os cientistas do centro médico teriam conseguido eliminar o vírus HIV alojado em animais vivos. Na experiência, em parceria com a Universidade de Pittsburgh, foram utilizados camundongos que tinham recebido células humanas infectadas com o vírus.


O professor e PhD vinculado ao Centro de Pesquisa de Doenças Metabólicas e do Departamento de Patologia da LKSOM, Wenhui Hu foi o coordenador da iniciativa.

A base para este avanço teria sido um estudo de prova de conceito, quando foram usados modelos transgênicos de ratos e camundongos com DNA de HIV-1 inseridos nos tecidos dos corpos dos animais.

''Nosso novo estudo é mais abrangente. Confirmamos os dados de nosso trabalho anterior e melhoramos a eficiência de nossa estratégia de edição de genes'', afirmou o professor Hu.


Próximos passos

A expectativa é de realizar novos testes, desta vez em primatas, animais mais indicados para esta pesquisa, com a intenção de mostrar ainda uma maior eliminação do DNA do HIV-1. Em 2020, pretende-se conseguir que os testes sejam feitos em humanos.

Mais lidas da semana 🔥

Maioria entre indecisos, mulheres devem definir eleição presidencial

Deivison Kellrs, da banda Torpedo, morre de câncer aos 30 anos

Julgamento das Bruxas de Salem: 7 fatos para entender o acontecimento

Aretha Franklin, ''rainha do soul'', morre aos 76 anos

4 livros para tratar temas difíceis com seus filhos

'Três Espiãs Demais' entra para o catálogo da Netflix

Biólogo Richard Rasmussen é acusado de pagar para matarem botos em reportagem

'Sobrevivi a quatro sentenças de morte'

Irmão de Suzane von Richthofen vivia longe dos holofotes e cogitou deixar o país

12 séries que são verdadeiras joias escondidas na Netflix