ONU decide encerrar missão de paz comandada pelo Brasil no Haiti

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) concordou nesta quinta-feira (13) em terminar com sua missão de paz no Haiti, após 13 anos de atividade.

Aprovado por unanimidade, o fim da Minustah, como é conhecida, será no dia 15 de outubro. Dentro dos próximos seis meses, os soldados que a integram devem começar a se retirar do país.


Em seu lugar passará a vigorar a Missão das Nações Unidades de Apoio à Justiça no Haiti, que deverá ter sete unidades com 980 agentes e 295 oficiais.

A ideia é que a nova força policial seja substituída em dois anos. Neste período, tem como meta ajudar na construção e consolidação da polícia haitiana.

A Minustah foi implementada após a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide, em 2004, para controlar a violência instaurada no país, mas nunca contou com a simpatia da população local.


"Iniciativas para a manutenção da paz são fantásticas, mas são muito caras e devem ser usadas somente quando necessário", disse à imprensa o embaixador do Reino Unido na ONU, Matthew Rycroft, antes da reunião que selou o encerramento das atividades.

Com custo anual de US$ 346 milhões (pouco mais de 1 bilhão de reais), a missão não está entre as operações mais caras da ONU, mas seu fim revela uma mudança em favor de ações menores.

Mais lidas da semana 🔥

Freddie Mercury aparece com último namorado em fotos raras

Emmanuel Macron está de olho em Marina Silva pela 2ª vez

Brian May diz que Freddie Mercury perdeu parte do pé

Os dez figurinos mais caros da história do cinema

Homem atira na ex-mulher e contra si dentro de ônibus em Lages

Ela se vestiu de homem para viajar livremente no século 19

Após pressão de Marina, Bolsonaro volta atrás e diz que não acabará com Ministério do Meio Ambiente

Filho agressor fazia empréstimos em nome da mãe aposentada

Mulher "viciada" em silicone e bronzeamento artificial fica irreconhecível

Uma noite de 'MasterChef' com JB, o crítico mais crítico da gastronomia