''Eu sou a pedra no sapato do Bruno'', diz mãe de Eliza Samúdio

A mãe de Eliza Silva Samúdio, Sônia Fátima Moura, diz que ficou aliviada com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de mandar o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza de volta à prisão na terça-feira (25). Mas nem por isso se sente tranquila. ''Meu medo ainda existe. Querendo ou não, eu sou a pedra no sapato dele. Antes era a Eliza, agora sou eu que incomodo. Quem me garante que não virá alguém atrás de mim?'', disse.


Bruno foi condenado em 2013 a 22 anos e três meses de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza. Depois de cumprir pena preventiva de seis anos, foi solto em fevereiro, com base em liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do STF. Sônia entrou com recurso, mas ele foi negado. O caso sofreu uma reviravolta na terça-feira, quando a mesma corte derrubou a liminar por três votos a um.




Para Sônia, foram dois meses difíceis. Ela tem a guarda do filho de Eliza e Bruno, Bruninho, de 7 anos, que não conhece os detalhes da tragédia familiar. ''Ele sabe que o pai matou uma pessoa, mas não sabe quem'', diz a avó. Segundo ela, o menino tomou conhecimento da liberação do goleiro, mas não demonstrou interesse em conhecê-lo. ''O Bruninho diz que o pai dele é o avô, meu marido. Chama o Bruno de pai de sangue''.


Ainda segundo a mãe de Eliza, Bruno também não procurou o filho. ''Ele foi à imprensa dizer que iria acertar pensão e lutar pela guarda, mas não fez nada. Se fizer, teremos uma grande briga na Justiça'', afirma.

Mais lidas da semana 🔥

Emmanuel Macron está de olho em Marina Silva pela 2ª vez

Confirmado: história de Amy Winehouse ganhará filme

Freddie Mercury aparece com último namorado em fotos raras

12 séries que são verdadeiras joias escondidas na Netflix

A surpreendente história de vida da atriz que viveu a Bruxa do 71

Bolsonaro diz dispensar votos de quem ''pratica violência'' contra opositores

Comunidade LGBT fará reunião para debater se apoia Marina ou Ciro

'Três Espiãs Demais' entra para o catálogo da Netflix

Criado por atrizes, conheça três coisas utilizadas até hoje