Cultura apresenta; Billie Holiday, o modo mais puro de cantar Jazz

Em 44 anos de vida, Billie Holiday (1915-1959) passou por uma infância miserável, abusos sexuais no ambiente familiar, prostituição adolescente, agressões, estupros, racismo, dependência de álcool e heroína.


Mesmo assim, hoje as pessoas têm uma dúvida a respeito dela: Billie foi a mais influente cantora do jazz ou, mais do que isso, foi a maior cantora da história da música jazz?

Adolescente, trocou a prostituição pelo palco. Naquele início dos anos 1930, grande parte dos americanos considerava as duas atividades degradantes para as mulheres.

Billie acabou mudando o modo de cantar de todas as gerações que a sucederam. Ela começou a se apresentar em público quando os cantores passaram a usar os microfones individuais. Antes, berravam para que todos nos teatros pudessem ouvir.

Com pouco alcance vocal, que ela chamava de "minha merda de voz", Billie adotou uma maneira emocionada ao se apresentar, um canto "pequeno" com o qual apostou na potência do microfone.

Gravou singles de muito sucesso nos anos 1930 e 1940. Chegou ao topo das paradas com "Carelessly", em 1937, e "Trav'lin' Light", em 1942. Mas, para os fãs de todas as gerações, talvez sua gravação mais poderosa seja "Strange Fruit", em 1939.


Seus 12 álbuns de estúdio foram gravados entre 1952 e 1959. Quando ela morreu, de cirrose, deixou um disco autoral pronto, gravado já com a doença em estágio avançado. "Last Recordings", o 12º e último disco de estúdio, é triste, melancólico.

Entre os registros ao vivo, imperdível é "The Essential Billie: Carnegie Hall Concert Recorded Live", lançado em 1961, que traz show dela em Nova York no dia 10 de novembro de 1956.

Desde a década de 1940, drogas e álcool sabotaram sua carreira, com shows cancelados. Delegacias e hospitais se tornaram destinos habituais da cantora no meio da madrugada. Presa várias vezes, ela foi chantageada e até mesmo surrada por policiais.

Mas tudo isso fica em segundo plano quando alguém escuta uma das vozes mais emocionantes da história da música.


Ouça abaixo uma playlist de Billie Holiday da Coleção Cultura:


Mais lidas da semana 🔥

'Adoraria ouvir conselhos dela', diz Príncipe William sobre a mãe

Irmão de Suzane von Richthofen vivia longe dos holofotes e cogitou deixar o país

Príncipe Harry revela que fez terapia para superar morte da mãe

Mulher mais obesa do mundo perde 250 kg após cirurgia

Biólogo Richard Rasmussen é acusado de pagar para matarem botos em reportagem

12 séries que são verdadeiras joias escondidas na Netflix

Eliana faz cerclagem uterina: entenda o que é o procedimento

Maju Coutinho é a nova apresentadora do Jornal Hoje

'Três Espiãs Demais' entra para o catálogo da Netflix

Freddie Mercury aparece com último namorado em fotos raras