Pais youtubers perdem guarda dos filhos após repercussão negativa de vídeos

Cada vez mais, os pais estão compartilhando a rotina que vivem com os filhos nas redes sociais. Entretanto, nem sempre essa exposição é saudável e, em alguns casos, revela grandes problemas. No mês de abril, a internet se revoltou contra o canal do YouTube DaddyOFive.


Idealizado pelos pais americanos Mike Martin e Heather Martin, o espaço ficou conhecido por mostrar o tratamento abusivo que as cinco crianças que estavam sob os cuidados deles recebiam. Os vídeos chegavam a mostrar torturas psicológicas – como a mãe gritando com os filhos e o pai quebrando o videogame de um dos garotinhos com um martelo – e agressões físicas, responsáveis por desestabilizar os pequenos que, na maioria das vezes, caíam no choro.

A repercussão negativa foi noticiada em grandes veículos americanos e despertou a atenção das pessoas. Na última segunda-feira, 1, dois filhos adotivos do casal – Cody, de 9 anos, e Emma, de 12 anos – foram devolvidos para a mãe biológica, Rose Hall. Diante das denúncias, ela pediu a guarda dos filhos de volta e publicou um vídeo no YouTube para esclarecer o ocorrido.

Ao lado do advogado, ela agradeceu a mobilização que os internautas fizeram para dar destaque ao caso e contou que as crianças estão seguras. A mãe também confessou que ficou com o coração partido quando viu os abusos sofridos pelos pequenos. “Cody está feliz por estar em casa e eu também estou feliz com isso”, completou.


No início, Mike e Heather negaram as acusações, afirmando que os vídeos compartilhados se tratavam de “pegadinhas” com as crianças. Mas no dia 22 de abril, o casal resolveu gravar um vídeo para falar sobre a situação. Os americanos começaram dizendo que tinham passado pela pior semana da vida deles e que, como pais, tomaram algumas decisões erradas.


Os cuidadores ainda acrescentaram que respeitam a maneira como as pessoas se sentem, contaram que o canal tomou uma grande proporção e que as crianças gostavam de acompanhar esse crescimento e, por fim, fizeram um pedido de desculpas. Até o momento, o conteúdo atingiu mais de 2 milhões de visualizações.


Todos os vídeos do DaddyOFive foram apagados. O único que ficou foi este acima, que mostra a declaração dos pais. Apesar disso, o canal ainda conta com mais de 750 mil inscritos. “Nossos filhos estão seguros. Fora da câmera, eles são normais, crianças felizes que praticam esportes e amam estar com a sua família e os amigos”, declarou o casal.

O caso absurdo levantou o debate sobre criação dos filhos, abusos na infância e o limite de exposição na web. O youtuber americano Philip DeFranco compartilhou um vídeo para debater o assunto e resgatou trechos que mostram as afrontas sofridas pelas crianças enquanto estavam sob a guarda de Mike e Heather.



Confira também: Pai encontra solução mágica para filho se despedir da chupeta

Mais lidas da semana 🔥

Abacaxi deixado em exposição engana público e é confundido com obra de arte

Homem que agrediu a própria mãe idosa é preso após repercussão de vídeos

Avó faz manta para neto mas detalhe 'indecente' chama atenção

WhatsApp lança ótima atualização para quem ama enviar áudios

Prefeito de vilarejo italiano oferece € 2 mil para que pessoas se mudem para o local

Escolas iniciam 'caça à baleia azul'; fique atento aos sinais

O ''jogo da baleia azul'' e a tragédia de Maria de Fátima

Guia prático do chá: o que você precisa saber sobre a bebida

'Tenho aids, engravidei e meu filho não foi infectado'

'A Força do Querer' bate recorde de audiência com prisão