Índia autoriza aborto de menina violentada em decisão inédita

Uma junta de médicos na Índia autorizou o aborto em uma menina de dez anos estuprada pelo padrasto.


O caso é um marco porque a lei indiana não permite aborto em gestações acima de 20 semanas, exceto quando há perigo para a vida da mãe. Os médicos alegaram que a garota poderia sofrer ''trauma psicológico'' caso a gravidez seguisse adiante. Dessa forma foi possível que a menina, que está grávida de 20 semanas, recebesse autorização para a realização do procedimento.

O caso aconteceu no Estado de Haryana, no norte do país. Segundo informações da imprensa local, o padrasto violentava a menina constantemente. Ele foi preso.


A Índia é o país que mais sofre com abuso sexual de crianças no mundo. Quase em todos os casos, os agressores são conhecidos das vítimas: familiares, amigos ou vizinhos. As vítimas acabam não denunciando o caso por medo de alguma retaliação ou desonra familiar.

Mais lidas da semana 🔥

Homem que agrediu a própria mãe idosa é preso após repercussão de vídeos

Morre Kid Vinil, aos 62 anos, precursor do punk rock

Sequestrado em maternidade, Pedrinho é advogado de Aécio Neves

Escapei de um marido violento, mas vi minha filha morrer nas mãos do goleiro Bruno

O ''jogo da baleia azul'' e a tragédia de Maria de Fátima

Internada aos 5 meses de gravidez, Eliana tem avaliação diária

Roger Moore, ator de '007', morre aos 89 anos

'13 Reasons Why': 2ª temporada vai mostrar outros pontos de vista

Escolas iniciam 'caça à baleia azul'; fique atento aos sinais

Tom Cruise indomável: ator confirma sequência de 'Top Gun'