Líder talibã que atacou Malala Yousafzai se entrega à polícia

O terrorista que reivindicou o ataque contra a Nobel da Paz de 2014, Malala Yousafzai em 2012, Ehsanullah Ehsan, se entregou às autoridades paquistanesas e desistiu da luta armada, informou o diretor de comunicação do Exército do país, general Asif Ghafoor, nesta segunda-feira 17.


''É bom dar-se conta que era um homem empenhado em campanhas erradas e isso indica os sacrifícios que nós fizemos nos últimos 15 anos. Ele não é o único e, nos próximos dias, serão outros os militantes que se entregarão às forças de segurança'', disse o general.

Ehsan, que tem cerca de 40 anos e tem como nome de batismo Sajjad Mohmand, é o ex-porta-voz do movimento Tehrek-e-Taliban Pakistan (TTP), o qual deixou em agosto de 2014 por ''divergências políticas'', e atual líder do grupo Jamaat ul-Ahrar (JuA).

Foi ele quem reivindicou o atentado contra Malala, em 9 de outubro de 2012, por ela ''levar adiante uma propaganda anti-talibã e por semear um pensamento 'secular' entre os jovens da zona pashtun''. Desde antes de sofrer a ação terrorista, a jovem paquistanesa – que hoje tem 19 anos – sempre lutou pelo direito das meninas de estudarem, fato proibido por diversos grupos extremistas.


Além de tentar matar a jovem, Ehsan havia ordenado que Malala entrasse na lista de alvos dos grupos terroristas.

Atualmente, a Nobel da Paz mora em Londres.


Mais lidas da semana 🔥

Sisu abre inscrições para o 2º semestre

'A Cabana' é acusado de heresia por parte dos evangélicos

Conheça o criador do jogo Baleia Azul

Pai mata filha de 11 meses e comete suicídio ao vivo no Facebook

Ela se vestiu de homem para viajar livremente no século 19

Homem que agrediu a própria mãe idosa é preso após repercussão de vídeos

Dono de bicicleta condena tatuagem em testa de adolescente: 'Não consegui dormir'

O ''jogo da baleia azul'' e a tragédia de Maria de Fátima

Emmanuel Macron é eleito presidente da França

Bronquiolite: 10 perguntas e respostas sobre a doença