Conheça três heroínas que lutam pelas mulheres na África

Quando as crianças pensam em super-heróis ou super-heroínas, elas geralmente imaginam guerreiros que brigam contra criminosos de grandes centros urbanos do Ocidente. Apesar dessas histórias serem um sucesso, a diretora Bruktawit Tigabu decidiu criar uma série sobre três heroínas etíopes que batalham por melhorias sociais em seu país.


A série ''Tibeb Girls'' (em tradução livre ''Garotas que Vestem Tibeb'' – tecido típico usado por mulheres etíopes) conta a história de três jovens – Fikir, Tigist e Fiteh – que ''usam seus superpoderes para lutar contra as injustiças sociais e práticas nocivas às mulheres na África'', como explica a descrição do desenho, em sua página no Facebook.


Com coragem e com a ajuda de seus superpoderes, as heroínas do desenho combatem os problemas de sua região, como o casamento infantil e a transmissão do HIV. Na Eiópia, 760 mil pessoas conviviam com o vírus, em 2012, segundo dados da Unicef ↗.

Meninas na escola

Outra preocupação da série é discutir a importância da educação para meninas. ''Somente na Etiópia, nove milhões de meninas não tem acesso à escola – o que resulta em uma perda de quatro milhões de dólares para o país, por ano'', disse Bruktawi em entrevista ao Startup Compete.

De acordo com a Unicef, em 2013, apenas 5,3% das meninas etíopes tiveram acesso a pré-escola no país, entre 2008 e 2009. O percentual salta para 65,5% quando o acesso ao ensino fundamental por mulheres é analisado no país; mas a escolaridade volta a cair à taxa de 15,6% quando se observa a escolaridade de mulheres no ensino médio.


Acessibilidade

Com a intenção de alcançar os mais diversos e longínquos públicos, Bruktawi e sua equipe transformaram a série em um programa de rádio e em um livro de história em quadrinhos.

Afinal, não são todos que possuem televisão para acompanhar as aventuras do trio e grande parte da população mora na zona rural – aproximadamente 85% dos etíopes ↗.

Mais lidas da semana 🔥

Abacaxi deixado em exposição engana público e é confundido com obra de arte

Homem que agrediu a própria mãe idosa é preso após repercussão de vídeos

Avó faz manta para neto mas detalhe 'indecente' chama atenção

WhatsApp lança ótima atualização para quem ama enviar áudios

Prefeito de vilarejo italiano oferece € 2 mil para que pessoas se mudem para o local

Escolas iniciam 'caça à baleia azul'; fique atento aos sinais

O ''jogo da baleia azul'' e a tragédia de Maria de Fátima

Guia prático do chá: o que você precisa saber sobre a bebida

'Tenho aids, engravidei e meu filho não foi infectado'

'A Força do Querer' bate recorde de audiência com prisão